FRAIBURGO

17 junho 2018

A Sementinha


Letra da música de Lourenço e Lourival


A SEMENTINHA


Lá na casa da fazenda onde eu vivia
Numa manhã de garoa e de céu nublado
Achei no chão do terreiro uma sementinha
Pensei logo em plantá-la no chão molhado
O tempo passou depressa e a mocidade
Chegou como chega a noite ao cair da tarde
Veio morar na fazenda uma caboclinha
Graciosa, bela e meiga e na flor da idade

Iniciou-se um romance entre eu e ela
Na sombra aconchegante de uma paineira
Dei a ela uma rosa com muita esperança
Que eu colhi de um galhinho daquela roseira
Marcamos o casamento pro fim do ano
Pra mim só existia ela e pra ela só eu
Pouco mais de uma semana para o nosso idílio
A minha flor prometida doente morreu

Arranquei o pé de rosas na primavera
E plantei na sepultura de minha amada
Todas tardes eu molhava com o meu pranto
A roseira foi murchando e acabou-se em nada
A chuva foi embora e o sol ardente
Matou a minha roseira e secou meu pranto
Só não matou a saudade da caboclinha
Pois eu vejo sua imagem em todo canto

Por isso é que eu vivo longe da minha terra
Seguindo a longa estrada de minha vida
Procuro viver sorrindo mas no entanto
Eu choro ao me recordar a amada querida
O destino como sempre é caprichoso
É cheio de traições e de sonhos loucos
Tal qual aquela roseira e a minha amada
Eu pressinto que também vou morrendo aos poucos

Cultura para sempre

Ari



28 maio 2018

O Caminho é a Educação

Coluna de Cacau Menezes em 27/05/2018:

“Não é de esperar que corrupto combata corrupto; que usuário de mordomia combata a mordomia; que o recebedor de salário acima da lei combata tal privilégio; que o parasita social, assalariado do poder público, que ganha sem trabalhar, combata a ociosidade... e, assim por diante. É essa gente que está mandando no Brasil – e as exceções existentes nos três poderes não desfazem a regra. Dessa gente, é tolice esperar solução honesta, para a baderna atual. Ela tem que ser derrubada e, pelas urnas não irá acontecer, porque a maioria do povo não sabe o que quer, vota cegamente em líderes carismáticos, mentirosos, fazedores de promessas que não cumprem, vende seus votos por um tanque de gasolina, e assim por diante... Constituição , voto, composição de poderes e outras responsabilidades é tarefa para quem tem a necessária qualificação!” 

Palavras de Glauco Olinger, que aos 96 anos, reafirma ao colunista o entendimento segundo o qual só a educação corrige o Brasil. Eu apoio.

Uma boa semana a todos e que Deus nos guie.

Ari

27 maio 2018

Essa Esperança É de Todos Nós.

"Sobre o movimento dos caminhoneiros, fui neste sábado num dos locais de concentração, às margens da BR-101 em Joinville/SC.
Pode-se dizer que um juiz de direito não tem nada com isso e não deve se envolver. Porém, como essa situação atinge a todos pessoalmente e porque também tem reflexos sobre um complexo prisional com 1.600 detentos sobre o qual tenho responsabilidades (até o momento tudo está sob controle e há alimentos suficientes para os presos para os próximos dias), como cidadão e como juiz da execução penal resolvi ver in loco esse movimento, no intuito de entender um pouco melhor tudo que está acontecendo.
No trajeto vi uma BR-101 vazia, como nunca tinha visto antes em toda minha vida. Seguindo, logo adiante vi ao longe uma bandeira do Brasil guindada a uma altura de uns 20 metros. Não vi bandeiras ou emblemas de partidos políticos, sindicatos ou organizações. Num posto de gasolina à direita no sentido Joinville/Curitiba, dezenas ou centenas de caminhões estavam estacionados. Não havia bloqueio da rodovia e os poucos veículos a transitar passavam livremente, alguns buzinando em cumprimento.
Nas margens da BR, não no acostamento, avistei barracas e um aglomeração de pessoas. Estacionei o carro e para lá me dirigi. Assim que me aproximei pedi para um grupo que conversava alto sobre o valor dos combustíveis para me levarem às lideranças do local. Eles muito educados disseram que não havia líderes mas sim organizadores. Uns do grupo me reconheceram e perguntaram por que eu estava ali. Disse o motivo, que era me inteirar da situação. Então eles pediram para eu os acompanhar e passaram a procurar no meio das pessoas alguém da organização. Vi muitas famílias, com crianças e idosos. Não havia música alta e tampouco percebi bebidas alcoólicas.
Encontramos um dos organizadores embaixo de uma barraca servindo sanduíches. Logo que fui apresentado uma roda de pessoas se formou para conversar comigo. Eles me relataram que tudo era para ter se resumido exclusivamente em uma passeata de protestos, nada mais, mas que com a enorme adesão e apoio popular de um lado e arrogância governamental do outro, o movimento cresceu e se tornou isso que vivenciamos atualmente. Afirmaram que ali estavam caminhoneiros tanto autônomos como empregados, todos unidos.
Apontaram as reivindicações, que em síntese eram a redução dos impostos sobre o diesel e uma política de preços previsível, que impedisse que um caminhoneiro saísse para viajar numa noite com o diesel num preço e fosse surpreendido na manhã seguinte com outro. Afirmaram que o acordo feito na quinta em Brasília não valia pois não atendia suas principais reivindicações e tinha sido feito por quem não os representava.
Estavam preocupados com tentativas de alguns meios de comunicação, segundo eles a pedido do governo, de dividir a população e o apoio que tinham até então. Manifestaram compromisso em agir pacificamente, mas estavam receosos com boatos de intervenção do exército para acabar com o movimento e me perguntaram se o estado podia usar da força para desfazer locais de concentração como aquele.
Conversei a respeito, pedindo que agissem sem violência. Ao final me despedi dizendo que esperava que tudo se resolvesse logo e sem transtornos maiores, dentro da lei, com a cidadania saindo fortalecida. Não tenho condições de concluir qualquer coisa, se esse movimento se caracteriza como greve ou se há algo articulado e oculto por trás disso tudo, lockout como dizem. O que sei é que deixei o local com a sensação de que a vida daquelas pessoas que diretamente encontrei às margens da BR-101 tem sido muito difícil e que estão agindo movidos pela esperança de dias melhores.
Creio que essa esperança é de todos nós.
João Marcos Buch é juiz da Vara de Execuções Penais de Joinville".

Um Bom domingo a todos.

Ari

06 abril 2018

Depois de 264 anos, o sonho continua!


   "...Quisera, pois, ter almejado que ninguém no Estado, pudesse dizer-se acima da lei, e que ninguém, fora dele, pudesse impor alguma que o Estado fosse obrigado a reconhecer porque qualquer que possa ser a constituição de um governo, se nele houver um só homem que não esteja submetido à lei, todos os outros ficam necessariamente à discrição desse e, se houver um chefe nacional e outro estrangeiro, qualquer que seja a divisão  da autoridade que possam fazer, é impossível que ambos sejam bem obedecidos e o Estado bem governado".

     Trecho escrito e publicado em 1754 por Jean-Jaques Rousseau em A Origem da Desigualdade entre os Homens, edição de 2017, pg. 14, Editora Lafonte. 

Um grande abraço e bom final de semana.

Ari 

16 fevereiro 2018

Pesquisadores criam supermadeira!

Engenheiros adensaram e fortificaram madeira com técnica inovadora que pode lhe dar novas aplicações, da construção civil a indústria automotiva.

Uma madeira mais resistente do que a natural e mais forte do que ligas de titânio foi desenvolvida por engenheiros da Universidade de Maryland, nos EUA, que dizem que sua invenção pode ser um importante substituto do aço.
Adicionar legLiangbing Hu e seu colega Teng Li mostrando a supermadeira; pesquisadores a testaram com projéteis semelhantes a balas de revólver | Foto: Universidade de Maryland. Foto: BBCBrasil.com
enda

"É uma solução promissora na busca por materiais sustentáveis e de alto rendimento", afirmou à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, Liangbing Hu, professor-associado de Ciência e Engenharia de Materiais da universidade e líder da equipe que desenvolveu o projeto, publicado no periódico científico Nature.

Segundo ele, o produto final apresenta 12 vezes mais resistência que a madeira comum.

"É um tipo de madeira que pode ser usado em automóveis, aviões, edifícios e em qualquer aplicação em que se use aço."

Resistência da Lignina

Essa supermadeira é fabricada em duas etapas: a primeira consiste em um tratamento químico para a extração parcial da molécula chamada lignina, um dos polímeros mais comuns do planeta e o elemento que confere à madeira sua cor amarronzada e sua rigidez.

Depois, a madeira é comprimida a um calor de 100ºC, o que "espreme" as fibras de celulose e reduz a grossura do produto final em cerca de 80%.

Essa compressão destrói eventuais defeitos na madeira, como buracos ou nós. Mas o mais importante é que suas fibras ficam tão próximas entre si que formam fortes elos de hidrogênio.

A lignina é retirada justamente para evitar que fiquem espaços vazios entre as fibras, explica Hu. Mas essa emoção é apenas parcial porque "se comprimíssemos a madeira depois de extrair a lignina totalmente, a estrutura inteira (do material) colapsaria".

Projéteis

Os pesquisadores da Universidade de Maryland testaram o material com tiros de projéteis de aço, similares a balas de revólver. Os projéteis atravessaram a madeira natural, mas ficaram retidos até a metade quando disparados contra a madeira tratada.

"A supermadeira é tão forte quanto o aço, mas seis vezes mais leve", diz Hu. Ele agrega que o tratamento funcionou nos testes realizados em três tipos de madeira dura (tília, carvalho e álamo) e outros três de madeira mais leve (cedro e pinheiro). Fonte: http://clauderio.blogspot.com/2018/02/pesquisadores-criam-supermadeira-tao.html#ixzz57HKHNkYU

Um bom final de semana a todos.

Ari