FRAIBURGO

26 agosto 2015

Visita ao Hospital Fraiburgo

Reproduzo aqui matéria produzida por Marcel Rodrigo de Lemos, sobre sua visita ao Hospital Fraiburgo nesta data.

Foto: Marcel Rodrigo de Lemos 
"Hoje estive em nosso hospital onde fui recepcionado pelo meu amigo e diretor Ari Guindani que me mostrou o belo trabalho que vem sendo feito nesta instituição, através do esforço, da criatividade e da colaboração da população fraiburguense. Segundo Ari, são efetuados em torno de 4.800 procedimentos mensais. Curioso que sou, ainda pedi se tudo ia bem? e fui informado que sim, tudo vai bem na medida do possível. Ao final tive o prazer em fotografar a alta de um paciente, senhor Ivan Ribeiro (quarto esquerda para direita na foto), que depois de chegar muito mal, com mais de 160 kg de peso, com um quadro de hepatite crônica e desenganado, após 47 dias o rapaz está indo para casa, junto de sua família, completamente curado. Muito emocionante! Valeu o esforço. Já imaginou se não tivéssemos este hospital nos ajudando? E com a dedicação destas pessoas? É por isso que concordo com a afirmação de que saúde é prioridade. Somente quem precisou, como eu tbm precisei um dia, pode entender mais facilmente isso. Parabéns a toda a equipe".

Obrigado amigo Marcel. 

Um grande abraço a todos.


Ari

25 agosto 2015

29 de agosto – Dia Nacional de Combate ao Fumo

A conscientização de que fumar qualquer tipo de produto relacionado ao tabaco – cigarrilhas, cigarro, rapé, cachimbo, narguilé – aspirado,   mascado, ou qualquer outra forma de consumo, sem nenhuma exceção, são terrivelmente prejudiciais à saúde.

O Uso de Narguilé e a Iniciação ao Fumo.

O narguilé, também conhecido como cachimbo d’ água, shisha ou Hookah, é um dispositivo para fumar no qual o tabaco é aquecido e a fumaça gerada passa por um filtro de água antes de ser aspirada pelo fumante, por meio de uma mangueira. Por utilizar mecanismos de filtro, o consumo de narguilé é visto como menos nocivo à saúde (MUKHERJEA et al., 2012). Contudo, a literatura revela que o seu uso é mais prejudicial que o de cigarros (O`CONNOR, 2011; RIVAS LOPEZ et al., 2012).


Segundo o WHO Study Group on Tobacco Product Regulation (2005), uma sessão de narguilé dura em média de 20 a 80 minutos, o que corresponde à exposição dos componentes tóxicos presentes na fumaça de aproximadamente 100 cigarros.

Com base na evidência científica disponível, o uso de narguilé foi significativamente associado ao desenvolvimento de câncer de pulmão, doenças respiratórias, coronarianas, doença periodontal e ao baixo peso ao nascer (AKL et al., 2010), além de câncer de boca, bexiga e leucemia. Possibilita ainda a exposição a doses suficientes de nicotina que causam dependência (WHO 2015).

Estudos também apontaram que o uso de narguilé, após 45 minutos de sessão, acarreta elevação das concentrações plasmáticas de nicotina, de monóxido de carbono expirado e dos batimentos cardíacos. Ocorre também maior exposição a metais pesados, altamente tóxicos e de difícil eliminação, como o cádmio. Entretanto, os riscos do uso do narguilé não estão somente relacionados ao tabaco, mas também a doenças infectocontagiosas: o hábito de compartilhar o bucal entre os usuários pode resultar na transmissão de doenças como herpes, hepatite C e tuberculose. (Fonte: Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/Ministério da Saúde).

Os pneumologistas Douglas Bettcher e Ricardo Meirelles, afirmam que por ser “filtrada”, a fumaça aspirada dá a falsa sensação ao usuário de que ela é mais pura do que a do cigarro normal, mas é só ilusão. Segundo o Instituto Nacional do Câncer, além da fumaça vir carregada com mais de 4 mil substâncias tóxicas (que também estão presentes no cigarro comum), possui concentrações muito superiores de nicotina, monóxido de carbono, metais pesados e substâncias cancerígenas. (Fonte: Inca).

Já a OMS defende a necessidade de conscientizar a população de que todos os produtos relacionados ao tabaco são altamente viciadores e prejudiciais para a saúde. "O problema desses produtos é que as pessoas não os conhecem bem”.  (Fonte: Agência EFE).

Para quem não acredita na malignidade do tabaco, basta visitar qualquer hospital do nosso país. Em todos eles você encontrará doentes terminais que estão em condições desesperadoras, sem condições de respirar por si sós, cuja sobrevivência já não tem mais condições de ser levada adiante. Isso tudo causado pelo consumo do tabaco.

Pensemos profundamente nisso.

Um grande abraço a todos

Ari

23 agosto 2015

Carta aberta ao Senador Renan Calheiros

"Vida de gado. Povo marcado. Povo feliz". As vacas de Renan dão cria 24 h, por dia. Haja capim e gente besta em Murici e em Alagoas!

Uma qualidade eu admiro em você: o conhecimento da alma humana. Você sabe manipular as pessoas, as ambições, os pecados e as fraquezas.

Do menino ingênuo que eu fui buscar em Murici para ser deputado estadual em 1978 - que acreditava na pureza necessária de uma política de oposição dentro da ditadura militar - você, Renan Calheiros, construiu uma trajetória de causar inveja a todos os homens de bem que se acovardam e não aprendem nunca a ousar como os bandidos.

Você é um homem ousado. Compreendeu, num determinado momento, que a vitória não pertence aos homens de bem, desarmados desta fúria do desatino, que é vencer a qualquer preço. E resolveu armar-se. Fosse qual fosse o preço, Renan Calheiros nunca mais seria o filho do Olavo, a degladiar-se com os poderosos Omena, na Usina São Simeão, em desigualdade de forças e de dinheiros.

Decidiu que não iria combatê-los de peito aberto, descobriria um atalho, um mil artifícios para vencê-los, e, quem sabe, um dia derrotaria todos eles, os emplumados almofadinhas que tinham empregados cujo serviço exclusivo era abanar, durante horas, um leque imenso sobre a mesa dos usineiros, para que os mosquitos de Murici (em Murici, até os mosquitos são vorazes) não mordessem a tez rósea de seus donos: Quem sabe, um dia, com a alavanca da política, não seria Renan Calheiros o dono único, coronel de porteira fechada, das terras e do engenho onde seu pai, humilde, costumava ir buscar o dinheiro da cana, para pagar a educação de seus filhos, e tirava o chapéu para os Omena, poderosos e perigosos.

Renan sonhava ser um big shot, a qualquer preço. Vendeu a alma, como o Fausto de Goethe, e pediu fama e riqueza, em troca.

Quando você e o então deputado Geraldo Bulhões, colegas de bancada de Fernando Collor, aproximaram-se dele e se aliaram, começou a ser Parido o novo Renan.

Há quem diga que você é um analfabeto de raro polimento, um intuitivo. Que nunca leu nenhum autor de economia, sociologia ou direito.

Os seus colegas de Universidade diziam isso. Longe de ser um demérito, essa sua espessa ignorância literária faz sobressair, ainda mais, o seu talento De vencedor.


Creio que foi a casa pobre, numa rua descalça de Murici, que forneceu a você o combustível do ódio à pobreza e o ser pobre. E Renan Calheiros decidiu que, se a sua política não serviria ao povo em nada, a ele próprio serviria em tudo. Haveria de ser recebido em Palacios, em mansões de milionários, em Congressos estrangeiros, como um príncipe, e quando chegasse a esse ponto, todos os seus traumas banhados no rio Mundaú, seriam rebatizados em Fausto e opulência; "Lá terei a mulher que quero, na cama que escolherei. Serei amigo do Rei."

Machado de Assis, por ingênuo, disse na boca de um dos seus personagens: "A alma terá, como a terra, uma túnica incorruptível." Mais adiante, porém, diante da inexorabilidade do destino do desonesto, ele advertia: 

"Suje-se, gordo! Quer sujar-se? Suje-se, gordo!"

Renan Calheiros, em 1986, foi eleito deputado federal pela segunda vez. Nesse mandato, nascia o Renan globalizado, gerente de resultados, ambição à larga, enterrando, pouco a pouco, todos os escrúpulos da consciência. No seu caso, nada sobrou do naufrágio das ilusões de moço!

Nem a vergonha na cara. O usineiro João Lyra patrocinou essa sua campanha com US1.000.000. O dinheiro era entregue, em parcelas, ao seu motorista Milton, enquanto você esperava, bebericando, no antigo Hotel Luxor, av. Assis Chateaubriand, hoje Tribunal do Trabalho.

E fez uma campanha rica e impressionante, porque entre seus eleitores havia pobres universitários comunistas e usineiros deslumbrados, a segui-lo nas estradas poeirentas das Alagoas, extasiados com a sua intrepidez em ganhar a qualquer preço. O destemor do alpinista, que ou chega ao topo da montanha - e é tudo seu, montanha e glória - ou morre. Ou como o jogador de pôquer, que blefa e não treme, que blefa rindo, e cujos olhos indecifráveis Intimidam o adversário. E joga tudo. E vence. No blefe.

Você, Renan não tem alma, só apetites, dizem. E quem, na política brasileira, a tem? Quem, neste Planalto, centro das grandes picaretagens nacionais, atende no seu comportamento a razões e objetivos de interesse público? ACM, que, na iminência de ser cassado, escorregou pela porta da renúncia e foi reeleito como o grande coronel de uma Bahia paradoxal, que exibe talentos com a mesma sem-cerimônia com que cultiva corruptos? José Sarney, que tomou carona com Carlos Lacerda, com Juscelino, e, agora, depois de ter apanhado uma tunda de você, virou seu pai-velho, passando-lhe a alquimia de 50 anos de malandragem?
Quem tem autoridade moral para lhe cobrar coerência de princípios? O presidente Lula, que deu o golpe do operário, no dizer de Brizola, e hoje hospeda no seu Ministério um office boy do próprio Brizola? Que taxou os aposentados, que não o eram, nem no Governo de Collor, e dobrou o Supremo Tribunal Federal?

No velho dizer dos canalhas, todos fazem isso, mentem, roubam, traem. Assim, senador, você é apenas o mais esperto de todos, que, mesmo com fatos gritantes de improbidade, de desvio de conduta pública e privada, tem a quase unanimidade deste Senado de Quasímodos morais para blinda-lo.

E um moço de aparência simplória, com um nome de pé de serra - Siba - é o camareiro de seu salvo-conduto para a impunidade, e fará de tudo para que a sua bandeira - absolver Renan no Conselho de Ética - consagre a sua carreira.

Não sei se este Siba é prefixo de sibarita, mas, como seu advogado in pectore, vida de rico ele terá garantida. Cabra bom de tarefa, olhem o jeito sestroso com que ele defende o chefe... É mais realista que o Rei. E do outro lado, o xerife da ditadura militar, que, desde logo, previne: quero absolver Renan.

Que Corregedor!... Que Senado!... Vou reproduzir aqui o que você declarou possuir de bens em 2002 ao TRE. Confira, tem a sua assinatura:

1) Casa em Brasília, Lago Sul, R$ 800 mil,

2) Apartamento no edifício Tartana, Ponta Verde, R$ 700 mil,

3) Apartamento no Flat Alvorada, DF, de R$ 100 mil,

4) Casa na Barra de S Miguel de R$ 350 mil ...

E SÒ.

Você não declarou nenhuma fazenda, nem uma cabeça de gado!! Sem levar em conta que seu apartamento no Edifício Tartana vale, na realidade, mais de R$1 milhão, e sua casa na Barra de São Miguel, comprada de um comerciante farmacêutico, vale mais de R$ 2.000.000.Só aí, Renan, você DECLARA POSSUIR UM PATRIMONIO DE CERCA DE R$ 5.000.000.

Se você, em 24 anos de mandato, ganhou BRUTOS, R$ 2 milhões, como comprou o resto? E as fazendas, e as rádios, tudo em nome de laranjas? Que herança moral você deixa para seus descendentes?

Você vai entrar na história de Alagoas como um político desonesto, sem escrúpulos e que trai até a família. Tem certeza de que vale a pena? Uma vez, há poucos anos, perguntei a você como estava o maior latifundiário de Murici. E você respondeu: "Não tenho uma só tarefa de terra. A vocação de agricultor da família é o Olavinho." É verdade, especialmente no verde das mesas de pôquer!

O Brasil inteiro, em sua maioria, pede a sua cassação. Dificilmente você será condenado. Em Brasília, são quase todos cúmplices.

Mas olhe no rosto das pessoas na rua, leia direito o que elas pensam, sinta o desprezo que os alagoanos de bem sentem por você e seu comportamento desonesto e mentiroso. Hoje perguntado, o povo fecharia o Congresso. Por causa de gente como você!

Por favor, divulguem pro Brasil inteiro pra ver se o congresso cria vergonha na cara. Os alagoanos agradecem.

Thereza Collor - Enviado via iPad
(Publicado por Mendonça Neto, Jornal Extra - Rio de Janeiro, em 18/08/2015.)

Abraço a todos.

Ari

Família

Quando o PATRIARCA ou a MATRIARCA é forte, a família fica unida e cresce.  Ao contrário, os filhos, pela ganância,  se sobrepõe e a família se esfacela.

Pense nisso.

Um grande abraço

Ari

Uma Mensagem Para Wilmutt

O passamento de Cleiton Geovani Kurtz (39), conhecido nacionalmente como “Wilmutt das Dores dos Prazeres”, vítima de acidente automobilístico ocorrido em 21/08/2015 na Rodovia GO-184, perto da cidade de Aporé no estado de Goias, nos deixa a todos tristes.
Para homenagear seu grande amigo “Wilmutt”, o artista Paulinho Mixaria, escreveu uma mensagem muito forte e emocionante. Nela, além da homenagem ao falecido amigo, ele faz um desabafo muito forte sobre tudo o que acontece em nosso país.
“Recebo agora a cruel e triste notícia de que perdi mais um amigo.
Aliás, todos perdemos, mesmo quem não o conhecia. 
Pois ele tinha o coração colorido e quem nasce assim é amigo de todos.
Lembro o dia quando eu estava em uma radio na cidade de Marechal Cândido Rondon no meu querido Paranazão e me apareceu aquele moço, simples, meio tímido como todos os bons palhaços o são, Se dizendo ser meu fã e me entregando um Cd de presente, com suas pegadinhas.
Me disse que iria ao meu show a noite e lhe disse que o chamaria no palco para ele mostrar sua arte... E assim eu fiz. E ali nasceu nossa amizade.Depois seu nome ficou reconhecido aos poucos e seu sucesso foi aumentando a cada dia. Por seus méritos, por sua luta e seu talento.
Um Moço. Um trabalhador. Um pai de família. Um amigo. Um palhaço...
Mais uma vez as estradas, mal cuidadas, deste país mal cuidado, matam um artista, que fazia nossa gente sorrir e esquecer as mazelas de um país tão maltratado.
Ladrões de casaca. Vossas excelências lacaias. tropa de safados. TODOS.
Não venham achar que só estou chamando de ladrão o Lula, a Dilma e sua corja de falcatruas. NÃO. SÃO TODOS LADRÕES. Seus Cunhas, Seus Collors, Seus FHCs, Seus Aécios e etc... 
(Tolos são os que ainda acreditam nesta raça).
Roubam tanto e nunca chega.
Não sobra para cuidarem decentemente de nossas estradas,Porque sobraria?
Pois não sobra nem para a saúde, para a segurança, para a educação e etc... Porque sobraria para as estradas?
Eles não costumam andar nas estradas.
Estes safados. TODOS SAFADOS andam só de avião.
Poque eles sempre andam com pressa para poder roubar um pouco mais...
E oque nos resta é isto... Um sorriso pra recordar e tentar amenizar a dor...
Uma família enlutada. Nossos corações enlutados...
E o carro colorido... 
O carro Colorido como o coração do Cleiton... Do Willmutt...
e o meu...
O carro amassado como o Coração do Cleiton... Do Willmutt...
e o Meu...
Segue na Paz, de encontro a Luz, meu irmão de coração colorido.
Deus o abençoe.
Agora, com licença, vou ali chorar e não volto...”

Quando um amigo é verdadeiro as suas palavras vem do coração e nos fazem refletir profundamente.

Ari

21 agosto 2015

Hospital Prima Por Atendimento Humanitário

Reproduzo aqui matéria publicada no site da ACIAF e produzida pela Assessora de Comunicação Josiane Zago.
“Visitar os pacientes todos os dias é mais que uma satisfação é um comprometimento que assumo em prol de um atendimento mais humanitário”. Essas foram às palavras do diretor geral do Hospital de Fraiburgo, Ari Guindani. Mantido pela Associação Fraiburguense de Saúde Coletiva (AFSC), presidida por Flavio Martins, a unidade busca constantemente um aprimoramento. As dificuldades, segundo a gestão, são enormes, porém a disposição em mudar esse quadro também.

Embora não seja uma obrigação do diretor geral do Hospital, o compromisso informado busca as melhorias onde são possíveis: no atendimento. Duas vezes por dia, seu Ari Guindani visita todos os pacientes internados ou que estão buscando atendimento. Na visita questiona o atendimento, se há necessidade de alguma melhoria possível de ser realizada e escuta o paciente.
Ivan Ribeiro, internado há 30 dias, é um desses pacientes, que reconhece e valoriza a iniciativa. Segundo ele, o sentimento é de compaixão e solidariedade. “Neste momento pequenas ações fazem toda a diferença. O Seu Ari se mostra uma pessoa muito solícita e comprometida com o nosso hospital e com a nossa saúde” afirma.
O Hospital de Fraiburgo possui 76 funcionários e 51 leitos. Além do atendimento em horário normal, o Hospital atende pronto socorro, com urgências e emergências, todos os dias, das 19h às 7 horas. Atualmente a média de ocupação dos leitos é de 64% e os atendimentos são, em sua maioria, provenientes do SUS.
Credenciado com todos os planos de saúde, o Hospital de Fraiburgo atende a região e é mantido, em boa parte, pela solidariedade das pessoas. Além do aporte da Prefeitura de Fraiburgo, o hospital recebe da comunidade diversos donativos, que variam de dinheiro, roupa de cama à papel higiênico, porém ainda há muito o que ser feito.
Segundo o diretor geral, os investimentos para manter o Hospital são de grande monta e a unidade já estuda possibilidades de perseguir formas alternativas de manutenção. Uma das opções, já em vigor no município, se trata da contribuição via fatura da Sanefrai, onde qualquer usuário pode colaborar com a causa, com valores e tempo de permanência definidos pelo próprio cidadão.
“Desde novembro de 2014, quando me aposentei, decidi que meu objetivo pessoal seria contribuir com o Hospital. Atualmente disponibilizo meu tempo em prol dessa unidade e gostaria que mais pessoas pudessem se comprometer com a causa. Empresários e a comunidade que puderem ajudar de alguma forma, reforçamos que todas as ajudas serão bem vindas” finaliza Guindani.
Muito obrigado à ACIAF e em especial à grande comunicadora Josiane Zago pela oportunidade. Tenham a certeza que esta matéria nos incentiva a seguirmos em frente com os nossos propósitos e com grande entusiasmo.
Um grande abraço a todos e bom final de semana.
Ari

11 agosto 2015

Bandidagem Recompensada.

Como podemos estabelecer valores e padrões de comportamentos a uma sociedade, se pessoas influentes conseguem criar mecanismos que os demais mortais da república nem sonha existir enquanto outros, assim mesmo poucos, conseguem a sua tão esperada aposentadoria, mesmo trabalhando honestamente por muitos e muitos anos?

Vejam esta matéria:

“O Ministério da Justiça concedeu ao ex-ministro José Dirceu o direito de incluir no cálculo de sua aposentadoria o período em que permaneceu clandestino, durante a ditadura militar.

O despacho, assinado pelo ministro José Eduardo Cardozo, formaliza a decisão da Comissão da Anistia, responsável por bater o martelo sobre quais cidadãos podem incluir a temporada de clandestinidade na contabilidade do benefício previdenciário.

A decisão, publicada no Diário Oficial na semana passada, garante o mesmo direito a outros perseguidos políticos.

Dirceu viveu na clandestinidade por onze anos – de outubro de 1968 a dezembro de 1979. A Comissão da Anistia julgou o caso do ex-ministro em junho último.” (Fonte: Folha/Uol – 11/08/2015).

Trata-se de pessoa condenada e que até pouco estava cumprindo pena de um processo já julgado e que está novamente encarcerado, agora envolvido em um processo ainda maior. Será que as pessoas com menor capacidade de julgamento vão entender isso? Me sinto com raiva e com enorme nojo de pessoas assim.

Um grande abraço a todos.


Ari

09 agosto 2015

Feliz Dia dos Pais

Nada melhor que uma criança cantando com seu Pai uma música que fala de um PAI. 

video

Um grande abraço a todos os PAPAIS neste dia especial.

Boa semana a todos.

Ari

Fumar Mata - Camicase

Além da maneira tradicional, o cigarro possui outras formas de matar seu usuário. A história retratada no vídeo abaixo, num momento é engraçada, mas ao seu final é horrível, igual às demais formas de morte causadas pelo cigarro, horrível.

video

Um grande abraço.

Ari

07 agosto 2015

Dois Anos Sem Fumar

No dia 06 de agosto de 2013, depois de muitos anos, fumei meu último cigarro. Foram 44 anos ininterruptos neste vício nefasto.

Nestes dois anos minha vida mudou muito. Deixei de lado uma vida de dependência total de uma droga que aos poucos ia me debilitando e com isso me trazendo sérios problemas de saúde e de relacionamentos.

Os problemas de saúde estão relacionados com a rouquidão, o cansaço, a constante falta de ar, a enorme dificuldade de caminhar e de praticar qualquer tipo de atividade que exigisse um pouquinho de esforço.

Os problemas de relacionamento se referem ao mau cheiro que o meu corpo expelia, pois o mesmo, depois de tanto tempo absorvendo fumaça e nicotina não conseguia mais eliminar grande parte dos componentes químicos que o cigarro possui. Por isso as pessoas se afastavam de mim. Minha esposa não me suportava mais pois eu “fedia” fumaça, alcatrão, etc. Mas a gota d’água foi desencadeada pelo meu netinho André. Ele simplesmente não queria mais vir no meu colo. Isso me abalou muito, mas por outro lado me deu forças para deixar de fumar.

Eu consegui. Já estou sendo aceito pelos meus amigos, pela minha família e aceito principalmente pelo meu netinho, que voltou a gostar de mim e a brincar comigo normalmente, sem ter problemas com o mau cheiro que o cigarro causava no ambiente em que eu andava.

Não posso deixar de agradecer mais uma vez a força que recebi da Assistente Social Marie Cristina Munareto e do Médico Pneumologista Dr. Eduardo Alves de Araújo. Depois do meu netinho, eles foram os grandes incentivadores de todo o processo de “deixar de fumar”.

Agora vamos em busca do ano 3.

Muito obrigado a todos que me incentivam. Muito obrigado a todos que continuam me incentivando.

Um grande abraço a todos.

Ari

06 agosto 2015

Grande Talento

A facilidade com que estes dois meninos cantam impressiona. Parece que estão falando conosco.

No vídeo abaixo, podemos notar todo o talento que os jovens meninos Luis Gustavo e Luis Augusto possuem. Ao lado da grande dupla Lourenço e Lourival, eles nos mostram um pouco do mundo sertanejo raiz. Confiram comigo:

video
Eu gostei. E Você?

Um grande abraço e bom final de semana.

Ari